terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Sem Bolor

Telhas de PET apresentam vantagem na construção civil

telhas pet
Segundo um estudo de um grupo de alunos da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), as telhas fabricadas a partir de PET reciclado (politereftalato de etileno ou o plástico usado em garrafas de refrigerante) apresentam vantagens em relação aos telhados de cerâmica. A manufatura de telhas a partir do PET é um dos destinos dados ao material após a reciclagem.
Segundo o último censo da Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET) o Brasil recolheu cerca de 260 quilotoneladas do plástico em 2009, e tem a segunda maior taxa de recuperação de garrafas no mundo, perdendo apenas para o Japão.
O processo de fabricação das telhas de cerâmica exige exploração de área natural para a retirada do barro. Além disso, com o tempo, esse material tem maior probabilidade de formação de mofo e fungos. Como o plástico é sintético, isso não acontece nas telhas de PET.
telhas pet
De acordo com a pesquisa ‘Utilização de Telhas de PET Reciclado na Construção Civil’, os modelos de plástico são capazes de resistir a temperaturas mais altas do que as de cerâmica. Enquanto os telhados convencionais suportam uma temperatura de até 50°C, a alternativa de PET suporta uma máxima de 85°C. Apesar das vantagens ambientais das telhas de PET, o custo das de cerâmica ainda é mais baixo. Os preços mais altos dos telhados de plástico são justificados  por conta do alto custo de produção, que ainda acontece longe dos grandes centros urbanos e usa técnicas novas no processo de transformação do material. No entanto, a diminuição nos custos para o construtor será na estrutura necessária para a sustentação das telhas, visto que estas são mais leves comparadas com as de cerâmica. Colaborador: Ricardo Carmo